By Marcos Oliveira,

Curso Certificação Linux LPI-1: Sistema de Boot, Shutdown e Runlevels

Em informática, boot é o termo em inglês para o processo de iniciação do computador que carrega o sistema operacional quando a máquina é ligada.A solução para o paradoxo está na utilização de um pequeno e especial programa, chamado sistema de iniciação, boot loader ou bootstrap.O pequeno programa normalmente não é o sistema operacional, mas apenas um segundo estágio do sistema de inicialização, assim como o Lilo ou o Grub. Ele será então capaz de carregar o sistema operacional apropriado, e finalmente transferir a execução para ele.

Blog Linux

Quando um sistema efetua boot pela primeira vez, o processador executa um código em um local conhecido. Em um Computador Pessoal (PC), esse local é o Sistema Básico de Entrada/Saída (BIOS), que está armazenado na memória flash, na placa-mãe.O estágio de inicialização do sistema depende do hardware no qual o Linux está efetuando boot. Em uma plataforma integrada, um ambiente de autoinicialização é utilizado quando o sistema é ligado ou reconfigurado.O loader de boot primário, que reside no MBR, é uma imagem de 512 bytes contendo o código do programa e uma pequena tabela de partição.

Blog Linux

O loader de boot secundário, ou de segundo estágio, pode ser chamado de loader de kernel. Neste estágio, sua tarefa é carregar o kernel Linux e o disco RAM inicial opcional.Com a imagem de kernel na memória e o controle fornecido no loader de boot de estágio 2, o estágio do kernel começa. A imagem do kernel não é bem um kernel executável, mas uma imagem de kernel compactada. Em geral é uma zImage (imagem compactada, com menos de 512KB) ou uma bzImag__e (imagem compactada grande, com mais de 512KB), previamente compactada com zlib.

Blog Linux

Após executar boot e inicializado, o kernel inicia o aplicativo do primeiro espaço do usuário. Ele é o primeiro programa chamado, compilado com a biblioteca C padrão. Até este momento no processo, nenhum aplicativo C padrão foi executado.

Runlevels (Níveis de Execução)

Níveis de execução definem quais tarefas podem ser realizadas no estado (ou nível de execução) atual de um sistema Linux. Além do básico, o uso de níveis de execução pode ser diferentes nas distribuições.

Níveis de execução básicos do Linux

Nível Propósito

  • 0 Encerrar (ou parar) o sistema
  • 1 Modo de usuário único; geralmente com os alias s ou S
  • 2 Modo de multiusuário sem rede
  • 3 Modo de multiusuário com rede
  • 4 Não Utilizado
  • 5 Modo de multiusuário com rede e com o X Window System
  • 6 Reinicializar o sistema

A distribuição Slackware usa o nível de execução 4 em vez do 5 para um sistema completo executando X Window system. Debian e derivados, como Ubuntu, usam um único nível de execução para o modo de multiusuário, geralmente o nível 2. Consulte a documentação para sua distribuição. Para alterar o Runlevel de inicialização do seu Linux, vc pode alterar o arquivo /etc/inittab

vi /etc/inittab

Exemplo abaixo, o número 2 é o definido

# /etc/inittab: init(8) configuration.
# $Id: inittab,v 1.91 2002/01/25 13:35:21 miquels Exp $
# The default runlevel.
id:2:initdefault:
# Boot-time system configuration/initialization script.
# This is run first except when booting in emergency (-b) mode.
si::sysinit:/etc/init.d/rcS
# What to do in single-user mode.
~~:S:wait:/sbin/sulogin
# /etc/init.d executes the S and K scripts upon change
# of runlevel.
#
# Runlevel 0 is halt.
# Runlevel 1 is single-user.
# Runlevels 2-5 are multi-user.
# Runlevel 6 is reboot.
l0:0:wait:/etc/init.d/rc 0
l1:1:wait:/etc/init.d/rc 1

Ou usando um dos comando abaixo(lembrando que para todos esses procedimentos deverá ser o super-usuário)

init 5

Ou

telinit 5

Personalizando o processo de inicialização

O Debian não utiliza o diretório rc.local no estilo BSD para personalizar o processo de inicialização; ao invés disso ele fornece o seguinte mecanismo de personalização.

Suponha que um sistema precisa executar o script foo na inicialização da máquina ou ao entrar em um nível de execução (System V) em especifíco. O administrador do sistema deverá então colocar o script foo dentro do diretório /etc/init.d/.

Executar o comando no Debian update-rc.d com os argumentos apropriados para criar as ligações entre os diretórios (especificados na linha de comando) rc?.d e /etc/init.d/foo. Aqui, ? é um número de 0 a 6 que corresponde a um dos níveis de execução System V.

Reiniciar o sistema

O comando update-rc.d criará as ligações entre os arquivos nos diretórios rc?.d e o script em /etc/init.d/. Cada ligação iniciará com um “S’ ou um “K’, seguido por um número, seguido pelo nome do script. Quando o sistema entra em um nível de execução N, scripts que iniciam com “K’ em /etc/rcN.d/ são executados com stop como seu argumento, seguido por aqueles começando com “S’ em /etc/rcN.d com start como seu argumento.

Alguém poderia, por exemplo, fazer com que o script foo seja executado na inicialização do sistema colocando-o em /etc/init.d/ e instalando as ligações com o comando update-rc.d foo defaults 19. O argumento defaults se refere aos níveis de execução padrões, que são do nível 2 até o nível 5. O argumento 19 assegura que foo seja chamado antes de quaisquer scripts contendo números 20 ou superiores.

O Comando Shutdown

Desliga/reinicia o computador imediatamente ou após determinado tempo (programável) de forma segura. Todos os usuários do sistema são avisados que o computador será desligado . Este comando somente pode ser executado pelo usuário root ou quando é usada a opção -a pelos usuários cadastrados no arquivo /etc/shutdown.allow que estejam logados no console virtual do sistema.

shutdown [opções] [hora] [mensagem]

  • hora - Momento que o computador será desligado. Você pode usar HH:MM para definir a hora e minuto, MM para definir minutos, SS para definir após quantos segundos, ou now para imediatamente (equivalente a 0).

O shutdown criará o arquivo /etc/nologin para não permitir que novos usuários façam login no sistema (com excessão do root). Este arquivo é removido caso a execução do shutdown seja cancelada (opção -c) ou após o sistema ser reiniciado.

  • mensagem - Mensagem que será mostrada a todos os usuários alertando sobre o reinicio/desligamento do sistema.

  • opções


  • -h Inicia o processo para desligamento do computador.
  • -r Reinicia o sistema
  • -c Cancela a execução do shutdown. Você pode acrescentar uma mensagem avisando aos usuários sobre o fato.
  • -a Permite que os nomes de usuários contidos no arquivo /etc/shutdown.allow possam utilizar o shutdown para reinicializar/desligar o sistema. Deve ser colocado um nome de usuário por linha. O limite máximo de usuários neste arquivo é de 32. Este arquivo é útil quando o shutdown é usado para controlar o pressionamento das teclas CTRL ALT DEL no /etc/inittab.
  • -k Simula o desligamento/reinicio do sistema, enviando mensagem aos usuários.
  • -f Não executa a checagem do sistema de arquivos durante a inicialização do sistema. Este processo é feito gravando-se um arquivo /fastboot que é interpretado pelos scripts responsáveis pela execução do fsck durante a inicialização do sistema.
  • -F


Sobre o Autor

Marcos Oliveira

A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita. A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável.
Mahatma Gandhi


Dê você também uma Contribuição
Compartilhe nas suas Redes Sociais!




Inscreva-se no Nosso Canal do Youtube



Curso Extremamente Avançado em Shell Script Bash

Você irá descobrir técnicas avançadas de escrever em Shell Script. Como criar instaladores para distribuições Linux, Animações, Documentações, além de tudo sobre Processos em sistemas tipo UNIX, detalhes sobre Comandos Avançados e Muito Mais !




Crie Sua Própria Promoção

Customize seus Pacotes de Treinamentos obtendo descontos muito em conta!